Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cultura
Quarta - 09 de Junho de 2004 às 13:11

    Imprimir


O Sesc Arsenal realizará no próximo dia 12 de junho, a partir das 20 horas, a inauguração da exposição Arte do Vale e do Mato, apresentando um recorte significativo da produção de uma das mais influentes e ricas regiões do Brasil e de uma artista escolhida que trabalha e reside na comunidade mato-grossense de São Gonçalo Beira Rio, em Cuiabá.

Dona Domingas é artesã, ceramista, uma artista popular que reflete em sua obra, a autenticidade que foge aos apelos mercadológicos, preservando técnicas herdadas dos antepassados, comprometida com a memória e com as manifestações folclóricas do Mato Grosso. Tem uma experiência acumulada com eventos culturais e é militante da cultura mato-grossense, liderando atividades de preservação dos valores culturais inerentes a comunidade de São Gonçalo e suas singularidades. Trabalhou em prol da arte e dos artistas da região na difusão e manutenção de seus relicários simbólicos, presidindo associações de artesãos, representando o Estado em várias capitais, levando na bagagem, as obras de importantes artistas de Mato Grosso.

Ulisses Mendes nasceu em Itinga, Vale do Jequitinhonha, nos confins de Minas Gerais, onde o homem recupera pelo barro, o sentimento do mundo e constrói com suas próprias mãos, a gênese de um sertão como um soturno mar. Artista popular, filho de agricultores, paneleiros e de garimpeiros, reconhecido internacionalmente, teve suas obras impressas e em acervo nas mais diversas coleções, galerias, publicações, revistas segmentadas, capas de livros, CDs e outros.

Membro ativo e participante do Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha, tendo sido um de seus fundadores, organizou, ministrou oficinas e coordenou vários encontros na região, este território de seca e poeira, um dos maiores conjuntos de arte popular brasileira, configurado principalmente a partir da década de 70, representando de maneira singular a cultura, a alma do lugar, camponesas e camponeses crucificados nas ferramentas da lida na roça.

Trabalhadores e retirantes da seca estão entre os mais marcantes trabalhos hora apresentados, num realismo minucioso, dramático e de miragens poéticas.

Com as mãos úmidas acariciando a argila, esses artistas lapidam a vida em delicada areia e encontra no artesanato, um jeito de realizar os seus sonhos e a arte de sobreviver.

Nesse encontro de linguagem, artistas e regiões, ultrapassando as fronteiras num desenho de abstratas cartografias, buscamos com este intercâmbio e realização, promover a difusão da produção dos artistas populares cuja obra deverá ser capaz de estimular a apreciação de repertórios culturais e estéticos possíveis de instrumentalizar a classe comerciária e comunidade artística em geral, no exercício continuado de ler o mundo e a realidade imediata numa perspectiva crítica.

Essa exposição acontecerá num momento em que o Sesc, em vias de implantação da Rede Sesc de Artesanato e que, o Departamento Nacional estará dando um novo impulso a esta área, com a intenção de garantir a difusão, sistematização e a contemplação da produção local, bem como a ampliação do intercâmbio através da rede de circulação pretendida pelo Departamento Nacional, entre as várias cidades e unidades espalhadas pelo país.

A mostra acontecerá até 15 de julho na Galeria de Arte do Sesc Arsenal à rua Treze de Junho s/n, Porto. Paralelo a mostra, estaremos exibindo materiais impressos sobre o artesanato de várias regiões do Brasil, além de vídeos sobre artistas diversos. As escolas interessadas em programar visitas devem entrar em contato com a equipe de cultura do Sesc através dos telefones 616-6920 e 616-6900.




Fonte: 24 HorasNews

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/noticia/381206/visualizar/