Repórter News - reporternews.com.br
Politica Brasil
Terça - 18 de Novembro de 2008 às 19:30

    Imprimir


Em meio ao impasse no PSDB para a escolha do candidato do partido que vai disputar a presidência da República em 2010, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse nesta terça-feira considerar precipitada a escolha antecipada do nome da legenda à corrida presidencial. Na opinião de FHC, "abrir o jogo agora é ruim" porque o candidato "vai levar pedrada todo tempo".

FHC minimizou o impasse no partido, dividido na escolha entre os governadores Aécio Neves (MG) e José Serra (SP) para a disputa de 2010. O ex-presidente também descartou a possibilidade de disputar a presidência da República mais uma vez como alternativa para unificar o PSDB.

"O PSDB não está dividido, não precisa que eu me candidate, e eu posso ajudar o PSDB a se unificar. Deixei a presidência e sempre disse a mesma coisa: já fiz o que tinha para fazer, pelo menos acho que o momento que vivi já está vivido, agora a oportunidade é para outros. Acho que a gente não deve estar ocupando espaços, dando cotoveladas nos companheiros", afirmou.

FHC disse que os tucanos devem buscar o "apoio do povo" para escolher o candidato do partido em 2010. "Tem que buscar apoio do povo. E eles é que vão dizer na hora: 'quero esse', e as bancadas vão sentir, os dirigentes vão sentir quem tem mais chance e vão trabalhar ao redor de quem tem mais chance", afirmou.

Na opinião do ex-presidente, Serra e Aécio estão "cumprindo o dever deles" nos governos de São Paulo e Minas. "Eles não são inexperientes, eles sabem que se começar a abrir o jogo agora é ruim", afirmou.

Apesar das críticas à antecipação do debate presidencial, FHC evitou comentar o lançamento da candidatura da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) ao Palácio do Planalto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Não sei sobre essa decisão e PT pode tomar a decisão que quiser, não tenho nada a comentar", afirmou.

Chapa pura

FHC considerou "difícil" o PSDB lançar chapa pura à presidência da República em 2010, diante da possibilidade de se aliar a partidos como o DEM e o PMDB. "Isso [chapa pura] é difícil, mas enfim as circunstâncias vão indicar. Essas coisas não dá para prever com antecipação", afirmou.

Sobre a eventual aliança com o PMDB, que também é cortejado pelos petistas para a chapa presidencial, FHC disse acreditar no diálogo com a legenda. "Tenho muitos amigos no PMDB, fui líder do PMDB nesta Casa, eu acho que é sempre possível o diálogo, não tenho a menor dúvida quanto a isso."





Fonte: Folha Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/169333/visualizar/