Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Terça - 11 de Novembro de 2008 às 17:46
Por: Lucélia Andrade

    Imprimir


Uma doença silenciosa que atinge milhares de mulheres em todo o mundo. O câncer do colo do útero se não tratado a tempo pode levar a morte. A prevenção da doença é a melhor maneira de tratá-la, evitando que se agrave ainda mais. Por isso é tão importante que a mulher faça o exame anualmente. Em Tangará da Serra nos últimos seis meses, 31 casos da doença foram confirmados no Posto Central. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, somente nestes últimos meses, 2.124 mulheres entre 25 e 59 anos, realizaram o exame preventivo. Deste número 321 mulheres fizeram pela primeira vez. Além de outros exames preventivos com células características ao HPV, que foram encaminhados para Cuiabá, e aguardam o resultado da biópsia. Mesmo com campanhas orientativas, e com o exame e tratamento gratuito, os números preocupam a saúde pública em Tangará da Serra.

Segundo a coordenadora do Posto Central Loidjane Lopes Marques, são várias as causas que contribuem para com a doença, entre elas alteração do próprio organismo, hereditariedade e principalmente pelo vírus HPV, transmitido através de relações sexuais sem o uso do preservativo. A maioria das mulheres não sabem que tem o vírus do HPV. O exame é feito gratuitamente nas Unidades de Saúde da Família (USF´S) e no Posto Central.

Depois de colhido, o material é enviado para Cuiabá para a análise. No caso de preventivos alterados é solicitado o exame colposcopia, para que, se detectado câncer, o tratamento seja iniciado rapidamente. O exame preventivo do câncer do colo do útero (exame de Papanicolaou) consiste na coleta de material citológico do colo do útero, sendo coletada uma amostra da parte externa (ectocérvice) e outra da parte interna (endocérvice).

Neste final de semana, a Secretaria Municipal de Saúde realizou a Campanha de Coleta de Preventivo contra o câncer do colo do útero. O mutirão foi realizado em todas as Unidades de Saúde da Família (USF´s) e no Posto Central. Mais de mil mulheres fizeram a coleta para o exame.

EXAME- Para a coleta do material, é introduzido um espéculo vaginal e procede-se à escamação ou esfoliação da superfície externa e interna do colo através de uma espátula de madeira e de uma escovinha endocervical.

Mulheres grávidas também podem realizar o exame. Neste caso, são coletadas amostras do fundo-de-saco vaginal posterior e da ectocérvice, mas não da endocérvice, para não estimular contrações uterinas. A fim de garantir a eficácia dos resultados, a mulher deve evitar relações sexuais, uso de duchas ou medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores ao exame. Além disto, exame não deve ser feito no período menstrual, pois a presença de sangue pode alterar o resultado. Toda mulher que tem ou já teve atividade sexual deve submeter-se a exame preventivo periódico, especialmente se estiver na faixa etária dos 25 aos 59 anos de idade. Inicialmente, um exame deve ser feito a cada ano e, caso dois exames seguidos (em um intervalo de 1 ano) apresentarem resultado normal, o exame pode passar a ser feito a cada três anos.





Fonte: Diário da Serra

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/169764/visualizar/