Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Politica Brasil
Segunda - 26 de Fevereiro de 2007 às 08:10

    Imprimir


O prefeito Nilson Leitão foi acionado duas vezes somente neste segundo mandato a frente do município de Sinop. Ele é acusado de improbidade administrativa na realização de obras do Sistema de Água e Esgoto (SAE) da cidade e contratação irregular de servidor público.

No caso da SAE, Nilson foi acionado para devolver os recursos utilizados na aquisição de materiais hidráulicos para a instalação de rede de água e manutenção do SAE. O Ministério Público suspeita que os preços pagos pelo município são acima daqueles cobrados no mercado.

Nilson também é acusado de nomear uma mesma funcionária para dois cargos públicos, configurando acúmulo indevido de função. O MP exige a indisponibilidade dos bens dos acusados, bem como a devolução de R$ 13,42 mil referentes a prejuízos aos cofres públicos.

Em Tangará da Serra, Júlio César Ladeia foi acusado de comercializar 20 mil litros de óleo diesel doado pelo Estado, resultando em R$ 53 mil de prejuízos aos cofres públicos. O esquema contaria com participação de ex-secretários municipais.

O prefeito de Várzea Grande, Murilo Domingos, e o irmão dele, ex-secretário de Fazenda do município, Antônio Domingos, são acusados, por outro lado, de direcionar a contratação da empresa Mil Milhas Locadora de Automóveis, de propriedade do genro do ex-secretário, Gustavo Trevisan Gomes, mediante processos de dispensa de licitação fraudulentos. A negociação gerou contratos de locação de veículos pesados no valor de R$ 829,5 mil, pagos inclusive com recursos da Secretaria Municipal de Educação.

O prefeito de Araputanga, Vano José Batista, teria utilizado maquinário da Prefeitura, com aval de dois secretários municipais, para aterramento e construção de represa em propriedades particulares. O MP também pediu a indisponibilidade dos bens do prefeito Ondanir Bortolini, de Itiquira. O promotor de Justiça Rodrigo Fonseca da Costa requer a reparação de prejuízo aproximado de R$ 493,9 mil causados pelos contratos irregulares com a Martinazzo, empresa responsável pela limpeza no município. (TM)





Fonte: Gazeta Digital

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/239938/visualizar/