Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quarta - 29 de Novembro de 2006 às 07:09

    Imprimir


A realização da 5ª edição da Agrishow Cerrado, feira de tecnologia agrícola, com versão anual em Rondonópolis, está cancelada para o próximo ano. A notícia foi confirmada pelo vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Rubens Dias de Moraes, e justificada pela crise do agronegócio. Na melhor das hipóteses, a feira voltará em 2008, em uma versão bienal. O evento é promovido pela Abimaq e Sistema Agrishow.

Antes da crise, na 2ª edição em 2004, a versão Cerrado em Rondonópolis (210 quilômetros ao Sul de Cuiabá) bateu recorde de negociações entre todas as versões da feira, atingindo a cifra de R$ 1,4 bilhão. Já em 2005, alguns produtores pediram o cancelamento do evento e cogitaram a hipótese de boicotar a edição; neste ano, o volume de comercialização despencou para cerca de R$ 300 milhões. Em 2006, sem números confirmados pela organização, a estimativa é de que menos de R$ 100 milhões em propostas de financiamento tenham sido protocoladas.

Para justificar a decisão que também vale para a versão goiana da feira, a Agrishow Comigo, de Rio Verde (GO), o executivo aponta a crise do agronegócio. Segundo ele, os problemas no campo foram acentuados nesse ano na região Centro-Oeste, especialmente no Mato Grosso e que isso estaria prejudicando as negociações e investimentos na área em função do alto custo da produção nos últimos dois ciclos. Ainda justificando, Moraes explica que a morosidade na recuperação da produção e consequentemente do retorno financeiro, não deverão acontecer até o ano que vem. Segundo ele, a região que mais sofreu com a crise de grãos foi o Estado. “Estamos melhorando aos poucos a curva descendente a qual nos encontrávamos“, disse. “Damos um tempo para que a receita se refaça”, completa.

Os produtores se endividaram nas últimas duas safras e com o intervalo, o vice-presidente acredita na recuperação do segmento em função, inclusive, da estabilidade apontada pelo câmbio para o ano que vem.

Além disso, o vice-presidente afirmou que a tendência é seguir a programação de eventos que acontecem com intervalos, a exemplo da Europa. Dessa forma, segundo Moraes, o segmento tende a apresentar mais diversidade de produtos, de equipamentos e de tecnologia permitindo aos produtores brasileiros competirem igualitariamente no mercado internacional.

O vice-presidente não poupou críticas à política do governo federal em relação à dificuldade na manutenção da logística de transporte dos grãos, que só elevam os custos no setor produtivo. Além do frete rodoviário elevado até os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR), Moraes criticou a ausência de atuação na criação de hidrovias e de ferrovias, que também tem prejudicado o escoamento da safra, fazendo com que os produtores percam a competitividade junto aos demais empresários do país e do mundo. “O frete é muito alto do Mato Grosso aos portos”, ressalta.

Moraes explicou que, além da troca de conhecimento, a realização da Agrishow Cerrado tem o propósito de oferecer aos produtores um encontro com os melhores representantes de equipamentos, produtos e profissionais propiciando uma rede de negócios. Com a crise, no entanto, o evento tornou-se inviável uma vez que o poder de compra e conseqüente investimento por parte dos produtores apresentou considerável declínio. “O negócio em relação aos investimentos seriam muito pequenos”, argumenta.

A realização da Agrishow Cerrado 2006, inclusive, já veio com o propósito da discussão e da troca de conhecimento uma vez que foi realizada em meio a crise do agronegócio. Mesmo assim, a arrecadação durante o evento apresentou um índice abaixo das expectativas, perdendo 40% em vendas.

REPERCUSSÃO -- A notícia causou surpresa nos principais segmentos relacionados à agricultura no Estado como exemplo da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Associação dos Produtores de Soja do Estado de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Secretaria de Desenvolvimento Rural (Seder). A própria Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso (Fundação MT), co-promotora do evento no Estado, recebeu a notícia do cancelamento por meio de uma carta formal enviada pela Abimaq. A diretoria da entidade não quis se pronunciar e pelo espanto causado ontem, os produtores ficaram sem a certeza de que o adiamento da feira para 2008 foi tomado em comum acordo entre o Sistema Agrishow e Fundação MT, ou, se unilateralmente.

O Sistema Agrishow ainda acontece em Pernambuco, Bahia e São Paulo, onde a crise do agronegócio não foi tão significativa. Tanto que as datas para os eventos já estão marcadas e acontecem entre maio e julho do ano que vem.





Fonte: Da Reportagem

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/257695/visualizar/