Repórter News - reporternews.com.br
Politica Brasil
Terça - 14 de Março de 2006 às 22:04

    Imprimir


O Nosso Restaurante, há seis anos instalado em Cuiabá, é o vencedor do processo licitatório realizado pela Assembléia Legislativa para fornecimento de refeições a seus servidores e visitantes do Parlamento estadual.

O quilo da refeição ficou definido em R$ 13. Além do restaurante, a empresa vai também administrar a lanchonete. Toda a infra-estrutura, com a instalação de equipamentos, vai custar R$ 150 mil. O contrato é de cinco anos, podendo ser renovado pelo mesmo período.

Das oito empresas que retiraram o edital e fizeram a vistoria no espaço físico destinado ao restaurante, apenas o Nosso Restaurante e Ribeiro Indústria Comércio de Alimentos estiveram presentes na abertura dos envelopes, que continham as propostas.

O proprietário da empresa vencedora, Cláudio Fineto, afirmou que vai se reunir, nos próximos dias, com os membros da Mesa Diretora para definir a data de abertura e funcionamento restaurante.

“Esperamos que seja o mais rápido possível. Os servidores da Assembléia podem esperar por qualidades do serviço. Com isso precisamos agradar a todos que estão na Casa”, destacou Cláudio Fineto.

O secretário do Grupo Executivo de Licitação, Adilson Moreira da Silva, lamentou a presença de apenas duas empresas na concorrência pública, mas disse que a disputa pela vaga foi muita acirrada e que os servidores da Assembléia Legislativa estão bem servidos.

Adilson Moreira afirmou que os trabalhos da empresa vão ser fiscalizados por uma comissão, a ser nomeada pela Mesa Diretora, representada pelo Sindicato dos Servidores do Legislativo, pelo Credilegis e pelo setor administrativo da Casa.

De acordo com o secretário, as portas devem ser abertas dentro de um prazo máximo de 45 dias. O valor mínimo de R$ 13, publicado no edital, por quilo de alimento consumido, ficou definido depois de uma pesquisa realizada no ano passado, em pelo menos 10 restaurantes da Capital, quando o preço médio variou entre R$ 16 e R$ 22.

“No primeiro ano a empresa vai pagar um aluguel simbólico de R$ 500 e, a partir do segundo ano, o restaurante vai assumir as despesas também com água, energia elétrica e ar condicionado. Os cálculos do consumo serão feitos pelos engenheiros da Assembléia Legislativa”, destacou Adilson Moreira da Silva.




Fonte: Da Assessoria

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/312830/visualizar/