Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Sexta - 27 de Março de 2020 às 15:32
Por: Keka Werneck/RD News

    Imprimir


Enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem reagiram contra o decreto do Governo, divulgado ontem (26), que flexibiliza medidas de barreira ao coronavírus em Mato Grosso, onde há 11 casos confirmados até agora e 385 suspeitos, de acordo com último balanço oficial. O Governo que antes havia determinado o isolamento social agora o preconiza somente aos idosos, acima de 60 anos, e pessoas com doenças como diabetes, hipertensão e problemas respiratórios crônicos.


A classe, que reúne mais de 30 mil profissionais da saúde, defende que "a vida é o bem maior", neste momento de controle da pandemia, e não a economia, apesar de entender que este aspecto também é preocupante.

Por meio de nota, o Conselho Regional de Enfermagem (Coren) manifesta repúdio ao Decreto N.º 425/2020 e alerta que "o pico de contaminação (da doença) ainda não foi atingido".

O Coren avisa que a circulação de pessoas pela cidade aumenta o risco para toda a população, em especial os menos favorecidos.

Cita ainda, como aviso, a situação "trágica" na Itália, Espanha e outros países devastados pelo coronavírus e que estão "empilhando" mortos, com dificuldades para fazer tantos sepultamentos.

Por fim, o Coren também ressalta que o decreto coloca a enfermagem em insegurança, que está a trabalho para receber pacientes com suspeita e lida com isso no dia a dia. Muita vezes "em condições precárias".

O Conselho pede ainda que a população fique em isolamento social, apesar do decreto do Governo liberá-lo parcialmente.

"Reconhecemos os prejuízos provocados pelo isolamento social sobre a economia no geral, mas como profissionais da saúde entendemos que a vida é o bem maior a ser preservado".

Veja íntegra da nota.

Carta aberta do COREN-MT sobre o Decreto N.º 425/2020, do Governo de Estado de Mato Grosso

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso vem a público manifestar repúdio ao Decreto N.º 425/2020, do Governo de Mato Grosso, que flexibiliza as orientações de isolamento social, como medida sanitária ao controle de propagação do Coronavírus, ao tempo em que reafirma tais medidas como potente proteção no sentido de evitar a crescente incidência da Covid-19.

As autoridades comprometidas com a vida, profissionais de saúde e comunidade científica têm advertido que a transmissão do vírus se dá por via aérea e no contato direto entre pessoas, apontado o isolamento social e os cuidados com a higiene como as atitudes mais eficazes para o seu controle e prevenção.

Hoje (26/03, 17H:30Min), tem-se 2.832 casos confirmados no país (sendo nove em Mato Grosso) e 77 mortes. Segundo o Ministério da Saúde, o pico de contaminação ainda não foi atingido.

Diante deste cenário, a circulação de pessoas pela cidade aumenta o risco para toda a população, em especial aos menos favorecidos que dependem do transporte público. Esta faixa social certamente ainda será a mais penalizada, já que não contamos com um serviço público de saúde capaz de atender e suportar a possível demanda decorrente dos casos de contaminação e adoecimento nas formas graves. Já conhecemos a trágica realidade em países desenvolvidos/ricos como a Itália, Espanha entre outros, com a devastadora ação do Coronavírus.

Manifestar repúdio à decisão do Chefe do Executivo estadual, é reafirmar a preocupação com a insegurança em que trabalham os profissionais de enfermagem. Ficar em casa é também uma forma de proteger, reconhecer e respeitar quem não pode fazê-lo, em razão do seu dever de ofício. Nós, profissionais de enfermagem, estamos na linha de frente e as condições em que atuamos já se mostraram precárias e inseguras na maioria dos serviços.

Assim, o Coren-MT vem a público clamar à população que mantenha as orientações de isolamento social e cuidados com a higiene, em especial, aqueles cidadãos enquadrados no grupo de risco: diabéticos, hipertensos entre outras doenças crônicas, gestantes e idosos, acima de 60 anos.

Reconhecemos os prejuízos provocados pelo isolamento social sobre a economia no geral, mas como profissionais da saúde entendemos que a vida é o bem maior a ser preservado.

A colaboração de todos é essencial, pois as próximas semanas serão decisivas. Não podemos correr este risco. Fique em casa, pelo bem de tod@s..

#Fiqueemcasa

Cuiabá (MT), 26 de março de 2020.

Comitê de Gestão de Crise – Coronavírus – Coren-MT





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/434828/visualizar/