Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Quinta - 09 de Setembro de 2010 às 02:09
Por: Aladir Leite Albuquerque

    Imprimir


Os fracassos marcam nossas vidas e muitos deles são inevitáveis. Um pai que perde o filho num acidente, ou uma enfermidade que surpreende a todos numa família, ou mesmo um desajuste financeiro, muitos destes problemas podem ser enquadrados no quadro da derrota. E eles fazem parte da vida.

Melhor é falar, com  efeito de vitória, palavras que preencha nossos pensamentos, e não através de pronuncias de insucesso.

Mas ser otimista não nos isenta de algumas adversidades. Aliás, nem mesmo poderia existir otimismo, se adversidade não fosse uma realidade em nossa vida.

Assim é consequentemente a vida de milhares de pessoas que, se encontra em cada metro quadrado deste planeta.

Eu já tive momentos na minha vida como você também já teve, de ficar muito desapontado com a fé. E perguntar para si mesmo como Deus pôde deixar de nos ouvir através de uma oração.

A minha pouca experiência me proporciona a ter mais equilíbrio, porque, Deus não nos deixa  passar por certas situações. Entendo que nós sempre pedimos o que queremos, mas Deus somente responde no nível de nosso   entendimento, ou seja, Ele, responde o que quer, por saber perfeitamente o que é melhor para nós.

Apesar desta experiência, nunca deixei de orar diante de um quadro de adversidade. Muitas vezes tenho a resposta positiva, mas, aprendi a descansar em paz, mesmo quando Deus não responde como quero. A aparente negativa de Deus não o diminui – Ele continua sendo Deus, faça ou não nossa vontade.

O conhecimento desta verdade me faz caminhar muito mais firme. Digo sempre que a fé não é um instrumento manipulador de nossa vontade. A verdadeira fé é que, produz força para seguirmos firmes, de cabeça erguida, ainda que tenhamos que passar pelo “vale da sombra da morte”.

A vitória é resultado de ações, orações, compreensões, humildade, paciência, perseverança e, da consciência de que, nada que foge ao equilíbrio deverá ser um desequilíbrio eterno.  Podemos sim, entender que, a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um eterno peso de paz, isto é, viver “triunfante”.


ALADIR: - O SERVIDOR
aladirrocha@gmail.com 


Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/artigo/957/visualizar/