Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Quinta - 06 de Dezembro de 2018 às 11:08
Por: Luiz Sampaio

    Imprimir


Em 1936, no livro "The Wisdown of the Body" (a Sabedoria do Corpo), Walter Cannon, eminente fisiologista americano, postulou o conceito de Homeostase, o conceito refere-se à constante busca de equilíbrio interno do organismo, fundamental para a realização de seus processos fisiológicos, tais como digestão de alimentos, absorção dos nutrientes deles derivados e síntese de substâncias fundamentais para nossa vida como as proteínas.

As doenças seriam, a partir desse ponto de vista, consequentes a ruptura desse equilíbrio e subsequente alteração nos processos fisiológicos.

Em 1959, o endocrinologista húngaro Hans Selye definiu o conceito de "Stress" (estresse) e autores brasileiros(Mello Filho, Je Diniz Moreira, M 1992) definiram estresse (físico, psicológico ou social) como um "termo que compreende um conjunto de reações e estímulos que causam distúrbios no equilíbrio do organismo, freqüentemente com efeitos danosos."

O estresse é hoje um mal que assombra a vida de jovens, adultos, idosos e, até mesmo, de crianças e leva nosso organismo a situações de desequilíbrio, evidenciadas por sintomas psicológicos, respiratórios, digestórios, cardíacos, entre outros.

Atualmente, são muitos os fatores externos que aceleram esse desequilíbrio: as questões climáticas, por exemplo, inadequações alimentares - vivemos a era dos "fast foods"; mudanças abruptas no clima, sobrecarga de trabalho, insegurança social e política, excesso de informações, isolamento social etc.

Até mesmo situações que consideramos prazeirosas são consideradas estressantes, tais como: mudança de trabalho ou de casa, viagens, relacionamentos amorosos, nascimento de filhos ou netos, sair para um "happy hour",aposentadoria, que geram desequilíbrio emocional, e podem desencadear sintomas e doenças.

Os sintomas decorrentes do estresse variam de paciente para paciente, pois dependem de qual sistema é mais susceptível no seu organismo (o chamado de órgão de choque, ou seja: naquele em que são descarregadas as pressões). No caso do estômago as dificuldades de digestão, os refluxos, as gastrites, as úlceras. Nos intestinos as distensões, as cólicas, as diarréias; no pulmão as bronquites, asma, rinites; no coração as dores no peito, taquicardia ou outras palpitações; no psiquismo a insônia, a falta de concentração (muitas vezes referidas como distúrbio de memória), as sensações de angústia ou tristeza. No músculo-esquelético as dores fibro-musculares (fibromialgia).

De modo geral esses sintomas são tratados isoladamente, não raro por vários especialistas, por meio de medicamentos específicos para cada sistema afetado, que, não raro, acabam desencadeando uma série de efeitos colaterais.

Acupuntura - Há mais de 2000 anos os médicos chineses, através de observações minuciosas, chegaram às mesmas conclusões que os dois cientistas modernos.

Definiram que doença é quando temos um desequilíbrio na homeostase interna - na terminologia Chinesa desequilíbrio entre o Yin e o Yang.

Inicialmente, Yin e Yang eram termos topográficos, Yang o lado iluminado da montanha e Yin o lado escuro. Através de generalizações e analogias os termos passaram a representar lados opostos de todos os fenômenos que ocorrem na natureza e nos seres vivos, dentre eles o homem.

Yang é a luz, o Sol, o dia, o movimento, o calor, o brilho, a primavera e o verão - Yin a escuridão, a Lua, a noite, o repouso, o opaco, o outono e inverno. Alimentos: cebola, alho, pimenta, gengibre, bebidas alcóolicas, café - Yang; o sal, a salsinha, a hortelã, a camomila, o maracujá, as folhas verdes em geral - Yin. Atividades profissionais que exijam força física - Yang, atividades intelectuais - Yin. Emoções de raiva, alegria - Yang, tristeza, pesar, medo - Yin.

Estresse, na acupuntura, é toda condição de trabalho, alimentação, estilo de vida e emocional que rompe o equilíbrio entre o Yin/Yang.

O tratamento por acupuntura, que consiste basicamente na estimulação de regiões especificas do corpo, chamadas pontos de acupuntura, visa reequilibrar o Yin/Yang e com isso devolver ao organismo sua condição de homeostase.

A estimulação dos pontos de acupuntura podem ser realizadas mediante a inserção de agulhas muito finas, através da digitopressão (massagem), aplicação de calor (moxabustão), estimulação elétrica (eletroacupuntura), laser (acupuntura com laser, muito aplicado em crianças) ou ventosas.

Estudos atuais demonstraram que o tratamento por Acupuntura equilibra as funções do sistema nervoso autônomo, o Simpático - hiperativado nas situações de estresse com liberação de adrenalina, noradrenalina e cortisol - e o Parassimpático - hipoativo nas situações de estresse. Em termos relacionais podemos classificar as funções do sistema nervoso autônomo Simpático como Yang e as do Parassimpático como Yin.

Como visto, não podemos evitar o estresse, ele faz parte de nossa vida. Quando sua gravidade ou intensidade provoca doenças, a Acupuntura Médica oferece uma alternativa importante e eficaz a esse cenário, a partir de um diagnóstico onde o paciente é avaliado no seu todo: seus sintomas, seus hábitos de vida, suas emoções, sua alimentação, sua historia, dentre outros. Por regular as funções fisiológicas próprias do organismo o tratamento por Acupuntura realizado por médicos é praticamente isento de riscos e efeitos adversos.

Luiz Sampaio é médico acupunturiatra, psiquiatra e membro do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).



Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/2320/visualizar/