Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Segunda - 03 de Agosto de 2020 às 06:32
Por: Benedito Figueiredo Junior

    Imprimir


Muitas pessoas procuram um cirurgião plástico incomodados com alguma parte do corpo que acreditam estar lhes deixando com a autoestima baixa, em alguns casos o impedindo de se relacionar.

Aí passam pela consulta, fazem os exames pré-operatórios e enfim o que o incomodava é resolvido na cirurgia plástica.

Porém, o paciente apesar de ter finalmente corrigido ou melhorado o que o na cabeça dele o impedia de ser feliz, porém não fica satisfeito e continua se penalizando por não achar que está bom o suficiente. Nesses casos é preciso entender o que de fato acontece com esse paciente.

Já vi muitos casos de pessoas que emocionalmente estão inseguros e vivem refém de algo em seu corpo que não gosta e credita toda a sua infelicidade a isso.

É comum ver modelos passarem por várias cirurgias até mesmo desnecessárias na busca de uma perfeição física que nem o melhor cirurgião do mundo pode resolver.

Porque não é um problema físico, mas de ordem emocional e psicológica. Então nesses casos é preciso que o cirurgião plástico indique um profissional psicólogo ou psiquiatra para o paciente.

Lembre-se que a cirurgia plástica é uma cirurgia que tem como objetivo melhorar o seu biótipo e por em evidência sua beleza natural, e que não deixa de ser uma cirurgia que tem riscos como qualquer outra.

Por isso se submeter a vários procedimentos que são até certo ponto desnecessários pode colocar sua vida em risco.

Qualquer cirurgia pode ter intercorrência. Por isso, antes de se submeter a um procedimento, essas razões devem ser bem ponderadas para que a operação seja feita pela razão certa.

Procurar um cirurgião plástico para alterar um mero detalhe não é recomendado, nem incentivado pelos especialistas que levam a profissão a sério.

Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico.



Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/3231/visualizar/