Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Politica MT
Segunda - 18 de Junho de 2012 às 08:10
Por: Valérya Próspero

    Imprimir


     Dos 19 vereadores por Cuiabá, 42% não tinham o ensino superior completo quando eleitos. Os dados foram levantados nas declarações prestadas ao TRE por cada um, em 2008. Ao todo, 11 têm ensino superior completo, 2 incompleto e 6 apenas o ensino médio completo.

 

     Dentre os que não haviam entrado na faculdade até as eleições passadas estão nomes de peso no Legislativo, o presidente da Câmara Júlio Pinheiro (PTB) e o líder do prefeito Éverton Pop (PSD). O petebista não declarou qual era sua ocupação antes de entrar para Câmara. Já Pop informou a profissão de locutor e comentarista de rádio e televisão e radialista. Até hoje atua na área apresentando o programa Cidade 40° na TV Cidade Verde (afiliada da rede Bandeirantes).

     Também com ensino médio está o vereador Néviton Fagundes (PTB), que era professor de ensino fundamental. Totó César (PTB) com a mesma escolaridade declarou-se ator e diretor de espetáculos públicos. Os outros dois vereadores com ensino médio são o Pastor Washington Barbosa (PRB) e Clovito Hugueney (PTB), nenhum deles informou ocupação antes de ser parlamentar. Deucimar Silva (PP) e Lueci Ramos (PSDB), quando eleitos tinha o ensino superior incompleto.

     O único petebista com ensino superior completo é o vereador Marcus Fabrício. Ele, no entanto, não informou ao tribunal qual sua área de atuação, assim como outros 4 legisladores que possuem nível superior: Antonio Fernandes (PSDB), Chico 2000 (PR), Domingo Sávio (PMDB) e Francisco Vuolo (PR), que volta à Câmara na próxima terça(12) e é pré-candidato a prefeito.

     Do total, apenas seis parlamentares com ensino superior disseram qual era sua profissão antes de sentar na cadeira do Legislativo. Adevair Cabral (PDT) era professor do ensino fundamental, Edivá Alves (PSD) é engenheiro, Lúdio Cabral (PT), médico, Toninho de Souza (PSD), jornalista, Paulo Borges (PSDB), advogado e Arnaldo Penha (PMDB) se declarou empresário.

     A baixa escolaridade daqueles que ocupam cargos eletivos Brasil afora vez ou outra causa polêmica. Na última eleição para deputado federal, por exemplo, o humorista Tiririca (PR), o mais votado do país, ocupou os noticiários por correr o risco de não tomar posse sob acusação de ser analfabeto. Saber ler e escrever são prerrogativas mínimas para ser parlamentar. O republicano conseguiu assumir o parlamento depois de decisão judicial. Outro caso emblemático é do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Durante toda sua trajetória política sofreu preconceito e foi subestimado por ter apenas o ensino fundamental.

Vereadores por Cuiabá com ensino médio completo...
Pastor Washington Barbosa (PRB)
Néviton Fagundes (PTB)
Júlio Pinheiro (PTB)
Everton Pop (PSD)
Clovis Hugueney (PTB)
Totó César (PTB)

...com ensino superior incompleto...
Deucimar Silva (PP)
Lueci Ramos (PSDB)

...e com curso superior completo
Adevair Cabral m(PDT)
Edivá Alves (PSD)
Lúdio Cabral (PT)
Toninho de Souza (PSD)
Paulo Borges (PSDB)
Arnaldo Penha (PMDB)
Antonio Fernandes (PSDB)
Chico 2000 (PR)
Domingo Sávio (PMDB)
Marcus Fabrício (PTB)
Francisco Vuolo (PR)





Fonte: RDNEWS

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/49020/visualizar/